Um eterno viajante. Eu

Nesse mar eu já nadei muitas vezes e ainda continuo porque a água é vida e se assim é, não seria diferente da minha, nem da sua.

Uma hora ela tá calma, seguindo o mesmo ritmo, leve mas ao mesmo tempo firme pra nos fazer boiar sem nos levar pra baixo, em outras, as ondas vêm sem pedir passagem, porque nem precisam. A gente tenta atravessá-las mas elas passam por cima e seguem arrastando o que vê pra beira da praia.

Nesse mar eu já nadei muitas vezes e ainda continuo, porque sempre volto de onde comecei e me atrevo a fazê-lo de novo, mesmo que engolindo água e choro também.

– Um eterno viajante. Eu